Brandoni Instrumentos

Tel: +55 11 96179-9671
Ir para o conteúdo

Menu principal:





Retire sua fisarmônica direto na fábrica e conheça a maravilhosa trajetória do instrumento.

Castelfidardo
, na Itália, hoje, é  considerada a capital da música culta e popular graças a sua fisarmônica. Para você amante da  música, aqui você pode encomendar seu  instrumento, que poderá ser retirado em São Paulo, ou mesmo diretamente da fábrica. Nós em parceria com a  agência Destinos Viagens vamos te auxiliar no que for necessário , para que você embarque nessa incrível viagem! No período de setembro, ainda vai conhecer ou rever a PIF (International Accordion Prize). A cidade de Castelfidardo é mundialmente conhecida por ter diversas demonstrações, apresentações, etc..  serão 5 dias para conhecer várias fábricas, o museu, temos o tour individual, ou direcionado para grupos. Preencha o formulário abaixo, ou entre em contato para maiores informações (11) 94877-1983 (Whatsapp)




COLEÇÃO
_____






COLEÇÃO MADEIRA

Os músicos que já tiveram a oportunidade de experimentar a Coleção em Madeira da Brandoni & Sons, puderam notar a diferença. As vibrações emitidas através da nossa caixa harmônica, que é fabricada completamente em madeira, permite ao músico de experimentar melhor a própria performance. Nossa diferença é o resultado de uma experiência adquirida no decorrer dos anos.






COLEÇÃO EM CELULÓIDE

Dar vida à um instrumento tecnicamente perfeito e eficiente, e ao mesmo tempo original e elegante, é o desafio constante da Brandoni & Sons.
Os modelos Liberty são inspirados nas decorações floreais dell’Art Nouveau, já os modelos Classic oferecem uma estética tradicional que até os dias de hoje são muito apreciadas.







COLEÇÃO BOTÃO

Os preciosos mosaicos e diversos, a escolha da madeira certa, é o que caracteriza a estética deste instrumento.
A escolha certa das tonalidades, o uso correto do fole, a interpretação do gosto popular, é o que garante ao músico de obter o máximo deste pequeno instrumento.

Baixe nosso catálogo em PDF

A BRANDONI
_____



Uma história italiana que nasceu em 1949
Tudo começou em 1949, em Castelfidardo, Ancona, Itália. Giovanni Brandoni, com a ajuda dos seus filhos Paolo e Ubaldo, realizaram um sonho: criar um acordeão de alta qualidade e prestígio. Assim nasceu a Brandoni & Sons, nome sinônimo de excelência, capaz de conquistar em pouco tempo o mercado americano.

Os anos se passaram e a tradição dos fundadores foi transferida para a nova geração e, com uma continuação natural, Brandoni & Sons começou a colaborar com a Bompezzo.








A bagagem da experiência internacional unida ao Know how inovativo, são capazes de transformar o acordeão no grande protagonista do mercado italiano.

O segredo de cada acordeão, está todo no trabalho rigorosamente artesanal, sem utilizo de maquinários industriais.








Assim nasce a verdadeira obra de arte, cada acordeão é único, personalizado, com todo o valor do Made in Italy, que dura para sempre.





Qualidade dos Instrumentos Brandoni.


A alta qualidade de mão de obra ainda é a principal característica das ferramentas Brandoni & Sons. Esses especialistas, asseguram que a reunião de todos os elementos fabricados artesanalmente, produzem um acordeão inovador, que tornam uma ferramenta única. As técnicas específicas e escolhas estilísticas feitas ao longo dos anos têm sido ainda mais aprimorado para que cada elemento do instrumento possa manter a sua estabilidade ao longo do tempo. Mesmo que o tempo de produção e realização de cada instrumento seja particularmente longa.
O ACORDEÃO  - História

Em 2700 a.C., foi inventado, na China, o instrumento musical denominado cheng, que é tocado até hoje. É uma espécie de órgão portátil tocado pelo sopro da boca. Tem a forma de uma fénix, que os chineses consideram a rainha entre as aves. O cheng é dividido em 3 partes:

Recipiente de ar
Canudo de sopro
Tubos de bambu

O recipiente de ar parece o bojo de um bule de chá. O canudo de sopro tem a forma de um bico de bule ou do pescoço de um cisne. A quantidade dos tubos de bambu variava, porém, a mais usada é a de 17. Interessante é que, destes 17 tubos de bambu, 4 não têm a abertura embaixo para a entrada do ar, sendo, portanto, mudos e colocados somente por uma questão de estética. Na parte superior do recipiente de ar ou reservatório de ar, existem as perfurações onde são fixados os tubos de bambu. Em cada tubo, é colocado a lingueta ou palheta, para produzir o som. Este recipiente (espécie de cabaça) é abastecido constantemente pelo sopro do músico, que tapa, com as pontas dos dedos, os pequenos orifícios que existem na parte inferior de cada tubo. De acordo com a música a ser executada, ele vai soltando os dedos, podendo formar até acordes. Em cada tubo de bambu, há um caixilho próprio para ser colocada a lingueta, presa por uma extremidade e solta na outra, que vibra livremente quando o ar comprimido a agita.


O cheng é o precursor do harmónio e do acordeão, pois foi o primeiro a ser idealizado e construído na família dos instrumentos de palheta. De acordo com a região que era usado, o cheng recebia nomes diferentes: schonofouye , hounofouye, tcheng, cheng, khen, tam kim, yu, tchao e ho. De acordo com o padre jesuíta Amiot, o cheng foi levado da China para São Petersburgo, na Rússia, onde Kratzenstein (Christien Theophile), doutor em filosofia, em medicina e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Copenhague, nascido em Wernigerode, na Rússia, em 1723, examinou o instrumento e verificou que o seu agente sonoro era uma lâmina de metal que vibrava por meio do sopro, produzindo sons graves e agudos.

Ele sugeriu que Kirschnik aplicasse, nos tubos dos órgãos de sua fabricação, esta lâmina livre de metal, o que foi feito em 1780. Da Rússia, passou para a Europa, tendo a Alemanha tomado grande interesse sobretudo nos instrumentos de órgão. Foi daí que Christien Friederich Ludwig Buschmann, fabricante de instrumentos, teve a ideia de reunir várias lâminas afinadas e fixadas numa placa formando uma escala cujos sons se faziam ouvir passando rapidamente através do sopro, isto em 1822. Mais tarde, ele transformou esta pequena placa num instrumento musical para brinquedo de criança, tocado com as duas mãos, ao qual deu o nome de handaolina ou harmónica de mão. Para tanto, aumentou o número de palhetas de metal e o tamanho do aparelho , anexando- lhe um pequeno fole e uma série de botões. Este instrumento, depois, segundo a história, foi aperfeiçoado por Koechel e, 7 anos mais tarde, o austríaco Cirilo Demian construiu, em Viena, um instrumento rudimentar de palheta livre, teclado e fole, ao qual, em virtude de ter 4 botões na parte da mão esquerda que, ao serem tocados com os dedos afundados, permitiam a obtenção do acorde, deu o nome de acordeão, nome que ficou definitivamente ligado ao instrumento através de inúmeros aperfeiçoamentos.

O sistema de palheta livre já havia sido aperfeiçoado por Grenié em 1810, na França, sendo rico em sonoridade e dando origem ao órgão. O francês Pinsonat empregou o mesmo sistema no alamiré ou diapasão tubular que veio a chamar-se tipófono ou tipótono e do qual se originou a gaita de boca, cuja invenção se deve a Eschenbach. A gaita de boca é um conjunto de palhetas metálicas como linguetas, dispostas cada uma em seu caixilho e vibradas pelo ar soprado pela boca. Na França, o acordeão foi aperfeiçoado em 1837 por C. Buffet. Segundo todos os tratados sobre o assunto, o acordeão nada mais é do que o aperfeiçoamento de diversos instrumentos do mesmo género, como o oeline de Eschenbach, o aerophone de Christian Dietz, a physarmónica de Hackel etc., tomando, desde esta data, sua forma definitiva e seus variados registos para mudança de intensidade e timbre do som.

Mais tarde, com a escala cromática, o acordeão pôde produzir qualquer melodia ou harmonia e inúmeros fabricantes o aperfeiçoaram colocando registros, tanto na mão direita com na esquerda, para maior variedade de sons. Na Alemanha, o primeiro acordeão foi construído em 1822, em Berlim. Os primeiros acordeões italianos foram construídos em 1863 em Castelfidardo, em Ancona, surgindo depois Paolo Soprani e posteriormente Brandoni & Sons Nos Estados Unidos, há diversas fábricas.

Como chegou na Itália.

Conta a historia que tudo nasce sempre por acaso. A lenda diz que certa noite do ano de 1863, um viajante austríaco, voltando do santuário da cidade de Nossa Senhora di Loreto ficou hospedado na casa de Antonio Soprani, um pobre lavrador que vivia em um pequeno sitio próximo à cidade de Castelfidardo e que era pai de quatro filhos, Settimio, Paolo, Pasquale e Nicola Soprani. O viajante portava um acordeom rudimentar, atraindo rapidamente a curiosidade e o interesse de Paolo Soprani que tinha na época 19 anos de idade. Não se sabe como esse instrumento foi parar nas mãos de Paolo. Uns falam que foi dado de presente pelo viajante austríaco em agradecimento pela hospitalidade de seu pai, Antonio, outros falam que teria sido por outros meios. Fato é que Paolo ficou apaixonado pelo instrumento, passou a aperfeiçoá-lo e desenvolveu um novo acordeon. Assim nasceu a clássica fisarmônica italiana, que seguiria sendo aperfeiçoada até os dias de hoje e conquistando o mundo.
Em 1864, Paolo inicia com seus irmãos Settimo e Pasquale a fabricação dos primeiros acordeões italianos, ainda na casa do sitio. Com o sucesso das vendas, constrói em 1872 a primeira grande fábrica no centro da cidade de Castelfidardo. Os primeiros compradores eram ciganos, peregrinos, e vendedores ambulantes que visitavam o santuário de Loreto. Cabe dizer que paralelamente a Paolo Soprani, no ano de 1876, na cidade de Stradella, província de Pavia, Mariano Dallapè (natural de Trento) inicia uma fabricação artesanal produzindo na época acordeões de altíssima qualidade. Em 1890 ainda em Stradella é fundada a fabrica “Salas” pelos sócios Ercole Maga, Dante Barozzi e Guglielmo Bonfoco. Também no mesmo período nasce a fabrica de 'Fratelli Crosio', a 'Cooperativa Armoniche'.
No inicio dos anos 1900 outro polo produtivo nasce em Vercelli. Todas essas indústrias se desenvolveram e cresceram muito, aperfeiçoaram e exportaram acordeões por todo mundo.

Como surgiu o acordeão no Brasil?


Naquele momento, mesmo período da guerra do Paraguai, começaram a ser introduzidos no Brasil os primeiros exemplares, trazidos pela imigração italiana e alemã, parte ficando em São Paulo e outros em Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Ficou popular mais para o final do século XIX.

Teve sua presença forte na porção meridional e no interior do Brasil, o instrumento, feito principalmente para dança, era comumente utilizado como forma de representação das tradiçoes daquelas comunidades, através da execução de ritmos diversos, como fado, a valsa, a polca. No campo, os acordeonistas, animavam bailes de aldeia em aldeia por toda a Europa e também no Brasil. Apesar de sua origem folclórica, o acordeão é capaz de executar qualquer estilo de música, como também música erudita e música de câmara que era muito comum nos anos 50, no seu auge, porque era moda executá-lo mesmo na sociedade mais refinada. Na década de 1950 era comum encontrar dois acordeões na mesma casa.

Nas diferentes regiões por onde passou, o acordeão foi ganhando características pessoais do local, assim como diferentes denominações: soanfona, no Nordeste; gaita, gaita de foles, realejo, no Sul.

Nos anos 60 com o advento do movimento do “rock” o acordeon perdeu muito de sua força levando ao fechamento de uma grande quantidade de fábricas. (Só no Brasil na região sul e sudeste existiam cerca de trinta fábricas, hoje não resta nenhuma).

Pouco depois, aqui no Brasil, o sucesso do forró e de outros ritmos populares foi recolocando o acordeon em lugar de destaque. Hoje este instrumento é difundido e apreciado em todas as classes sociais. Ele é utilizado tanto em festas e palcos onde se apresenta música popular como na música clássica. Em salas de concertos pode-se apreciar orquestras executando belíssimas peças onde exímios acordeonistas se destacam.
A Itália, com tecnologia única, continua a produzir acordeons modernos e sofisticados.



Hoje, nos primeiros anos do novo século, é possível perceber, contudo, que "a sanfona ainda não desafinou" e continua forte, reconquistando seu espaço no imaginário popular e nas produções musicais Brasil a fora



NOTÍCIAS
_____





Sem comentários



VÍDEOS
_____




CONTATO
_____
REPRESENTANTE AUTORIZADA BRANDONI & SONS

Tel: +55 11 96179-9671  
Email: contato@brandoni.com.br
Website: www.brandoni.com.br



  • facebook
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal